Sexta, 24 de junho de 2016

Horário: às 17hs

Transmissão online

Adicionar ao Google Calendar

Nesta sexta, às 17h, o Conselho Federal de Psicologia (CFP) promove o debate online “Violência contra a mulher e o papel dos profissionais da Psicologia”. A mesa tem como proposta debater a violência contra a mulher no Brasil e como psicólogas e psicólogos podem e devem atuar neste enfrentamento. Serão abordados temas como incidência da violência, lei Maria da Penha, notificação compulsória e sua diferença em relação à comunicação externa (denúncia), acolhimento e referência à rede, entre outros assuntos.

Participam do debate Valeska Zanello, professora da Universidade de Brasília (UnB) e representante do CFP no Conselho Nacional de Direitos da Mulher (CNDM); Ben-Hur Viza, juiz do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) e coordenador do Centro Judiciário da Mulher; Thiago Pierobom, promotor do Ministério Público do Distrito Federal e dos Territórios (MPDFT) e coordenador do Núcleo de Gênero Pró-Mulher, e Miriam Pondaag, psicóloga da Secretaria Adjunta de Desenvolvimento Social do Governo de Brasília (Sedest) e ex-coordenadora da Casa da Mulher Brasileira do DF.

“A expectativa do debate é trazer para a nossa categoria o conhecimento e a discussão sobre as leis e políticas públicas existentes no combate à violência contra a mulher (muitas das quais desconhecemos, pois infelizmente não aprendemos no curso de graduação), bem como os sistemas de amparo a ela, cuja referência precisamos e devemos fazer em nossa prática profissional, em vários âmbitos, da clínica particular aos serviços público de atendimento e assistência”, afirma Valeska Zanello, que mediará a mesa.

Ao final da atividade, será lançado o vídeo “Violência contra as mulheres: o que os profissionais de saúde têm a ver com isso?”,realizado pelo CFP com vistas a sensibilizar profissionais da área sobre a questão.

Violência contra a mulher no Brasil

Dados do Mapa da Violência de 2015 mostram que entre 2003 e 2013, o número de vítimas de homicídio do sexo feminino passou de 3.937 para 4.762; um aumento de 21% na década. O país tem taxa de 4,8 homicídios por cada 100 mil mulheres, a quinta maior do mundo em um ranking com 83 países, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

O Mapa mostra ainda que, em 2014, o Sistema Único de Saúde (SUS) atendeu a 23.630 mulheres vítimas de violência sexual. Dados da Central de Atendimento à Mulher, o Ligue 180 (serviço da Secretaria de Políticas para Mulheres), registrou em 2015 cerca de 10 casos de violência sexual por dia, com um aumento de 165,27% no número de estupros em relação ao levantamento anterior, computando a média de oito estupros por dia, um a cada três horas.

Perguntas podem ser enviadas para o e-mail eventos@cfp.org.br ou via redes sociais, por meio da hashtag #PapoPsi.

Este evento é organizado por você?